Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

Por um mundo melhor

A Saint-Gobain tem como objetivo ser líder global em construção leve e sustentável. Em entrevista, José Martos, CEO da Saint-Gobain Portugal, conta que a empresa está a trabalhar para atingir zero emissões líquidas até 2050.

 

Em setembro de 2019, a Saint-Gobain anunciou o seu compromisso de alcançar zero emissões líquidas até 2050. Nesse sentido, que medidas têm sido implementadas de forma a contribuir positivamente para o futuro do planeta?

A Saint-Gobain está a trabalhar à escala global e, de forma colaborativa, em diversos eixos, para atingir zero emissões líquidas até 2050. Em Portugal, definimos o nosso Roadmap de Sustentabilidade, que passa pela sensibilização interna dos nossos clientes e parceiros, bem como da comunidade; por tornar os nossos produtos mais sustentáveis; por reduzir o impacto das nossas operações; entre outros. Sabemos que o impacto principal está no impacto das nossas matérias-primas e estamos a colocar nesse âmbito muito do nosso esforço, com foco particular na economia circular.

 

Podemos dizer que o objetivo primordial da Saint-Gobain é garantir o conforto e a segurança e, em simultâneo, conseguir responder aos desafios da construção sustentável, eficiência de recursos e alterações climáticas?

A Saint-Gobain lançou em 2021 o novo plano estratégico, cuja visão do mesmo é ser líder global em construção leve e sustentável. Esta visão responde aos desafios do mercado e às necessidades do planeta. Para concretizarmos esta visão, a sustentabilidade é um fator-chave, desde uma perspetiva alargada, que vai desde a boa gestão de recursos à redução do impacto dos nossos produtos e atividades no ambiente. Este tema ganhou um foco ainda maior nos últimos anos, pela urgência climática, no entanto, quer o cuidado pelo ambiente, quer a saúde e segurança no trabalho, entre outros, fazem há muito parte dos Princípios de Ação do Grupo Saint-Gobain.

 

Em Portugal estão representados através de várias marcas. De forma breve, pode explicar quais as áreas de atuação das mesmas?

A Saint-Gobain tem, em Portugal, 13 empresas e 10 fábricas em diferentes sectores de atividade, sendo que a maior parte estão ligadas direta ou indiretamente ao sector da construção. Saliento assim, algumas das nossas marcas: Isover – soluções de lã mineral para isolamento térmico, acústico e proteção contra o fogo; a Placo® – sistemas à base de gesso e placas de gesso para edifícios novos e reabilitação; a Weber – líder em argamassas industriais para diferentes aplicações em construção; a Saint-Gobain Glass (através da marca Climalit Plus®) e a Glassolutions Covipor, que se dedicam à produção de vidro plano e transformação de vidro para a construção, respetivamente; a Leca® – argila expandida para aplicação para edifícios, infraestruturas e gestão de águas pluviais; a Chryso – aditivos para betão e cimento; a Gabelex – soluções para tetos acústicos (através das marcas Ecophon e Eurocoustic); a Saint-Gobain PAM – soluções completas de tubagens em ferro fundido dúctil. Temos ainda marcas como a Glassdrive® que atua na área da reparação de vidro automóvel, a C.A.S.A. – um player completo em termos de reabilitação urbana e reparação de danos na habitação – e a Norton®, atua na área dos abrasivos. Adicionalmente, concluímos no passado mês duas aquisições, alinhadas com a visão do grupo: a Falper, que se dedica ao fabrico de sistemas de LSF [Light Steel Framing] e a Fibroplac, que se dedica ao fabrico de placas de gesso.

 

Qual a análise que faz da trajetória da empresa durante os anos de existência em Portugal? Que objetivos ainda estão por cumprir?

A Saint-Gobain está presente em Portugal desde 1962, ano em que a Cristaleria Espanhola se instala em Portugal mediante uma participação na Companhia Vidreira Nacional S.A. (Covina), dedicada ao fabrico de vidro plano.​ Desde então, a sólida expansão desenvolvida pela Saint-Gobain e acelerada nos últimos anos, deu-lhe o reconhecimento empresarial e um intenso conhecimento em diversos setores de atividade.

Sobre o futuro e objetivos por cumprir, sabemos que estamos bem posicionados, mas também que podemos ir mais longe. Temos a ambição de ser o líder em Construção Leve e Sustentável e concretizar essa ambição de acordo com o nosso propósito: Making The World A Better Home. Sabemos que ser líder não significa apenas ser o melhor do mercado. Significa também sermos pioneiros no nosso setor, transformando o mercado e mobilizando toda a cadeira de valor. Ser líder também significa inspirar as nossas equipas, atrair talento, e ter impacto na sociedade e em toda a sua diversidade. O plano estratégico Grow & Impact, que estamos agora a levar a cabo, será a chave para alcançar as nossas ambições.

 

Jose Martos in Revista Business Portugal

Também te poderá interessar