Sorry, you need to enable JavaScript to visit this website.

“Queremos ser o líder em construção sustentável”

A Saint-Gobain olha para a sustentabilidade como eixo da sua estratégia. Em processo de transformação, quer contribuir para a neutralidade carbónica não só na fase de construção, mas também de utilização dos edifícios.

A Saint-Gobain está fortemente comprometida com a transição sustentável e com a aplicação dos três eixos ESG, ou seja, a nível ambiental, social e de governação. “A sustentabilidade para nós não é importante, é fundamental. Queremos ser o líder em construção sustentável. É o foco da nossa estratégia”, diz José Martos, CEO da Saint-Gobain Portugal. E acrescenta: “A sustentabilidade faz parte da Saint-Gobain Portugal, de quem somos, da nossa estratégia e de onde queremos chegar, de forma a podermos ser a referência no mercado de construção sustentável.” Os principais desafios que a empresa tem em conta na sustentabilidade estão ligados ao impacto que a construção e a utilização dos edifícios têm na pegada carbónica. Tendo em conta que, na União Europeia, 40% das emissões de CO2 estão ligadas à construção – 12% da pegada carbónica estarão associados ao processo de construção e cerca de 28% ao uso do edifício –, José Martos refere que “obviamente com um impacto deste tamanho a que estamos tremendamente comprometidos”. Esse compromisso passa por dois eixos. “O primeiro é maximizar o nosso impacto fornecendo soluções sustentáveis que podem reduzir as emissões de CO2 tanto no processo produtivo como na fase de utilização dos edifícios, e por minimizar o nosso impacto nas operações de produção e fabricação de materiais de construção”. A Saint-Gobain está a trabalhar nos objetivos ambientais, sociais e de governação. No que respeita ao uso eficiente dos recursos naturais, e tendo em conta que a sociedade utiliza mais recursos do que o planeta pode gerar, o CEO refere que “utilizar eficientemente os recursos naturais é crítico para nós como sociedade e, nesse sentido, a Saint-Gobain trabalha na circularidade para tentar reduzir o impacto do uso dos recursos naturais que utilizamos, assim como os resíduos que provocamos possam ser utilizados eficientemente”. Ainda na área ambiental, o compromisso da empresa é atingir a neutralidade carbónica em 2050. Para isso, está a trabalhar num plano de sustentabilidade “em que progressivamente estamos a alcançar metas, para assegurarmos que no ano de 2050 conseguimos atingir a naturalidade carbónica”, sublinha o responsável.

Quanto ao plano social, o CEO diz que estão em diálogo com os parceiros, colaboradores, fornecedores, clientes e comunidades, destacando sobretudo o trabalho realizado com os colaboradores: “A Saint-Gobain Portugal tem sido auditada nos processos de recursos humanos, nos quais temos tido a certificação que garante que temos políticas de recursos humanos de excelência, não só em cumprimento com a lei, mas também quanto à identificação de talento, desenvolvimento de carreira profissional, enfim, todo este tipo de política de recursos humanos.” José Martos destaca ainda que têm um compromisso com a diversidade, com a inclusão e com a responsabilização social corporativa: “Quanto à diversidade, temos um compromisso de ter 30% de mulheres em posição executiva em 2025, quanto à responsabilidade social corporativa, também estamos a trabalhar aqui em Portugal com a associação Just a Change, onde nós fornecemos materiais de construção para a reforma de habitações para pessoas que vivem em pobreza habitacional.”

 

Jose Martos in Jornal de Negócios

Também te poderá interessar